Acessibilidade
Contato

Aceleração LabSonica 2.0

O edital Aceleração Musical Labsonica 2.0 – Toca do Bandido tem a proposta de alavancar a carreira de novos músicos e bandas independentes, por meio de um ciclo de capacitação que inclui jornada de diagnóstico de carreira, minicurso de music business, workshop de planejamento estratégico, mentorias individuais promovidas por especialistas da indústria da música e pitching. Ao final da capacitação, os selecionados participarão de uma residência artística em que farão parte de um songcamp e produzirão um EP com três faixas e uma live session, produtos que serão lançados no mercado pelo selo Toca Discos.

“A ideia é investir na qualificação profissional desses novos artistas, promover uma imersão total no mundo da música, em áreas como desenvolvimento pessoal, composição, direção artística, produção musical e marketing digital, pra que eles possam desenvolver suas carreiras”, explica o produtor artístico Felipe Rodarte, um dos gestores do Estúdio Toca do Bandido e do selo Toca Discos.

“A segunda edição da Aceleração Musical Labsonica materializa o propósito do Oi Futuro de estimular a experimentação e a inovação no ecossistema da música e na economia criativa, que se tornaram ainda mais importantes neste momento de reinvenção da cultura”, afirma Victor D´Almeida, gerente executivo de Cultura do Oi Futuro.

O processo de seleção

Ferramenta fundamental do projeto, o diagnóstico de carreira ganha novo parceiro com a chegada da musictech strm®, startup brasileira que utiliza inteligência artificial para identificar em qual momento da carreira os artistas estão e quais desafios precisam enfrentar para alcançar patamares mais altos. Todos os inscritos no LabSonica 2.0 receberão diagnósticos preliminares, sendo que 21 artistas serão selecionados para receber o diagnóstico de carreira completo. Dentre os 21, seis serão escolhidos para participar de todo o ciclo de capacitação.

Diversidade e inclusão seguem como palavras-chaves no processo de seleção de artistas e bandas independentes para o edital que, em sua estreia, lançou a Banda Bule, de Pernambuco; Sandyalê, de Sergipe, e quatro revelações do Rio de Janeiro: Caio Prado, Luciane Dom, Varandão e Tuim.

Do diagnóstico ao lançamento

Ao longo da aceleração, as bandas e músicos farão uma imersão para a produção de EPs, participando de workshops e mentorias orientados por profissionais especializados da área. O ponto de partida será o diagnóstico de carreira de cada selecionado, para avaliar necessidades e projetar as etapas de desenvolvimento, incluindo seleção de repertório, capacitação em empreendedorismo e design estratégico profissional e artístico.

A primeira semana de capacitação será realizada no Lab Oi Futuro – espaço criado no Rio pelo instituto da Oi para estimular a inovação na economia criativa. Ao fim da primeira semana, os músicos participam do songcamp, no Estúdio Toca do Bandido, que inclui dinâmicas que estimulam a composição.

Em seguida, cada selecionado terá três músicas produzidas, com a orientação e condução de Constança Scofield e Felipe Rodarte. Os EPs serão lançados pelo Selo Toca Discos em todas as plataformas digitais, com apoio de divulgação das bandas nas redes sociais. O making of do processo de produção e gravação ganhará registro audiovisual: ao final do processo, cada artista participante terá o oficial recording session videoclip de uma música gravada ao vivo. O estúdio do Lab Oi Futuro vai sediar os ensaios, enquanto o estúdio Toca do Bandido será local das gravações e mixagem.

Ao final da aceleração, os artistas selecionados participarão de um pitching para uma banca de profissionais do mercado de música, no Lab Oi Futuro.

Quem foram os pré-selecionados – Rio de Janeiro:

Conheça os pré-selecionados – Brasil:

Mais sobre o Aceleração Musical Labsonica

A segunda edição da Aceleração Musical Labsonica dá sequência ao projeto realizado em 2020 em parceria com a Toca do Bandido, que teve 900 inscrições e ofereceu cerca de 300 horas de mentorias. “O primeiro edital veio em um momento muito desafiador, no começo da pandemia. Estávamos muito entusiasmados com a parceria com o Oi Futuro: a estrutura, os profissionais, aqueles diálogos superefetivos, a troca com os artistas. Todos esses elementos contribuíram para a magia da primeira edição”, pontua Constança Scofield, responsável pela mentoria de direção artística do Toca do Bandido, que está completando 20 anos.

O edital é uma parceria do Labsonica, laboratório de experimentação no campo do som do Oi Futuro, com o selo musical Toca Discos, vinculado ao Estúdio Toca do Bandido, também voltado para o lançamento de novos artistas. O projeto tem patrocínio do Governo do Estado do Rio de Janeiro, Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa, Lei Estadual de Incentivo à Cultura e Oi, com apoio cultural do Oi Futuro e realização da Toca do Bandido.

Inscreva-se e faça parte da nossa rede!
Receba informações sobre editais, cursos e programação

 

Confira a nossa politica de privacidade