Acessibilidade
Contato

O desenho na Obra de Anna Bella Geiger

O desenho na Obra de Anna Bella Geiger

De 01/07/2022 à 24/07/2022

Quarta a domingo, de 11h às 20h

Salvar na Agenda
Início Término

Anna Bella Geiger é uma artista de seu tempo. Aos 89 anos, é sempre capaz de trazer um novo olhar sobre o cotidiano, o mundo e a arte. E, quase sempre, destacando a beleza do simples. No próximo dia 1º, ela abre a exposição “O desenho na obra de Anna Bella Geiger” no Centro Cultural Oi Futuro, com curadoria da própria artista e realização da Zucca Produções. Traçando uma retrospectiva do desenho pelas sete décadas de carreira de Anna Bella nas artes visuais, a mostra fica em cartaz até o dia 24 de julho, com entrada franca.

“Na minha trajetória mantive sempre uma atividade gráfica mais ampla. Se em alguns momentos a gravura suplantou o desenho, porém, foram sempre atividades simultâneas. Não revelei a produção do desenho ao público com a mesma assiduidade da gravura. Não houve muitas chances, esta é a verdade. Também o fato de desenhos anteciparem, às vezes em meses ou mesmo em anos, as gravuras que daí se originavam, fez com que aqueles se mantivessem ausentes de uma participação maior e, com isso, sem a autonomia que agora exigem e é essencial”, revela Anna Bella Geiger, em catálogo para exposição homônima na Galeria de Arte Paulo Figueiredo, São Paulo, novembro de 1981. Foram necessários 40 anos para os desenhos ganharem destaque num projeto cultural, que inclui, além da exposição, livro e uma mostra virtual.

O trabalho da artista – mesmo quando aparentemente simples – oferece um mundo de possibilidades. Possibilidades que Anna Bella Geiger sabe aproveitar, sempre ligada em sua contemporaneidade. Daí, seus desenhos combinarem tão bem com tecnologia e inovação. Além de abrigar as obras da artista, o Oi Futuro facilita o acesso à coletânea de seus desenhos disponibilizada numa galeria virtual. O visitante poderá conferir alguns de seus desenhos originais feitos na década de 1960, filmes de videoarte gravados nos anos de 1970 e, com ajuda de monitores no local, visitar a galeria virtual, com mais de 50 obras da artista, que poderá ser acessada por computadores, óculos de realidade virtual e projetada na parede da galeria, onde o visitante é quem comanda o passeio.

Na galeria virtual, o visitante escolhe um nome e um avatar para entrar e poder interagir com outras pessoas, dentro do espaço, com voz e reações digitais. A ferramenta usada para a construção da galeria está sempre em evolução, e a tendência é que a experiência do público se torne cada vez mais orgânica, simulando uma situação muito próxima à visita de uma galeria no mundo real.

Segundo Julio Zucca, idealizador e realizador da mostra, a opção por este formato teve como motivação o desejo de tornar o acesso à arte cada vez mais democrático, inclusivo e global. Para ele, “uma exposição virtual não substitui uma exposição real, assim como uma live não substitui um show de música ao vivo. Não é esse o objetivo. O que queremos é transformar eventos efêmeros, a que só tem acesso quem vai fisicamente ao local durante sua exibição, em produtos culturais duradouros, que podem ser acessados por qualquer pessoa em qualquer lugar, a qualquer hora. O mundo virtual no campo da arte vem para ser mais uma opção de acesso à cultura, democratizando os bens culturais”.

Tanto na galeria física, no Oi Futuro, quanto na galeria virtual, a exposição permite o acesso dos textos em versão falada e em libras, para acessibilidade de pessoas com deficiência. E na galeria virtual, estarão disponíveis também os textos em inglês. Além disso, os monitores atuantes na galeria são capacitados para atender pessoas com deficiência, inclusive em Libras.

O projeto prevê ainda o lançamento de um livro-catálogo com a coletânea completa dos trabalhos de Anna Bella Geiger ao longo de sua trajetória, em que o desenho é a obra em si ou foi a base para outros suportes, como gravuras em metal, pinturas, objetos e vídeos. O livro, homônimo das exposições no Oi Futuro e na internet, conta com prefácio do renomado curador e historiador de arte suíço Hans Ulrich Obrist, que conheceu Anna Bella Geiger em sua Galeria Serpentine, em Londres, em 2018. O texto do livro, previsto para ser publicado no segundo semestre deste ano pela Zucca Books, está reproduzido nas paredes do Oi Futuro e na galeria virtual, seguindo a tendência antecipadora apontada pela artista em relação a seus desenhos.

Após a mostra no Oi Futuro, a exposição virtual estará disponível ao público na internet por tempo indeterminado. O projeto tem patrocínio da UNIPAR com uso da Lei Federal de Incentivo à Cultura, do Ministério do Turismo.

Inscreva-se e faça parte da nossa rede!
Receba informações sobre editais, cursos e programação

 

Confira a nossa politica de privacidade