Acessibilidade
Contato

Diversidade e inclusão para desenvolver e transformar

17/06/2021

Diversidade e inclusão para desenvolver e transformar

O Oi Futuro tem como missão potencializar o desenvolvimento coletivo através de ações transformadoras nas áreas de Educação, Cultura e Inovação Social. O instituto valoriza a diversidade e a pluralidade como bases de soluções educacionais, culturais e sociais para um futuro mais sustentável e igualitário. E acredita que essas soluções só serão eficientes para toda a sociedade se forem construídas de forma coletiva com participação e protagonismo de diversos grupos e diferentes comunidades.

Essa busca por visões mais amplas e futuros mais plurais se reflete nos programas, projetos e iniciativas que o Oi Futuro realiza, apoia ou patrocina. Conheça alguns deles.

Cultura Plural

A arte é uma das ferramentas de promoção da diversidade com maior capacidade de alcance e impacto. Ao longo dos anos, o Oi Futuro tem apoiado e patrocinado projetos nas mais diversas linguagens espaço para experimentações, conexões e novas ideias para uma realidade social mais plural. Isso se reflete em editais que impulsionam festivais como o Favela Sounds e o Plural, ambos no Distrito Federal, que proporcionaram uma programação de celebração da diversidade com shows, rodas de conversa, debates, exposições, mostras de cinema e oficinas com artistas e temáticas pautadas na comunidade LGBTQIA+.

Selecionado pelo Edital Oi de Patrocínios Culturais Incentivados, Corpos Visíveis foi uma mostra de multi-linguagens realizada no Rio de Janeiro com artistas do audiovisual, teatro, fotografia, moda, música e performance em trabalhos com temáticas sobre identidade, igualdade de gênero e sexualidade. Também no Rio e também selecionado pelo Programa Oi de Patrocínios Culturais Incentivados, Corpas Sonoras acontecerá no segundo semestre desse ano –  uma roda de improviso musical entre artistas LTQIs, construindo um  espaço acolhedor e visibilidade para pessoas de identidades lésbica, transfeminina, transmasculina, queer e não-binária.

A pluralidade também está na programação do Centro Cultural Oi Futuro, com montagens como Tom na Fazenda, idealizada pelo ator e produtor Armando Babaioff a partir da peça original do premiado canadense Michel Marc Bouchard. O espetáculo teatral retratava a vida de homens e mulheres que, diante de um cenário homofóbico, precisam aprender a mentir antes mesmo de amar. Já O príncipe poeira e a flor da cor do coração – peça livremente inspirada em contos de Oscar Wilde para falar sobre amor e tolerância voltada para o público infanto-juvenil – promoveu uma mesa de debate sobre diversidade de gênero e sexualidade. Selecionadas pelo Edital de Cultura para compor a programação do Centro Cultural este ano, as Irmãs Brasil, dupla de artistas travestis formada por Viní Ventania e Vitória Jovem, apresentarão suas criações que colocam em choque as linguagens da dança, teatro e performance apontando questões urgentes à sobrevivência de corpas dissidentes.

Educação Inclusiva

Nas escolas NAVE, o Núcleo Avançado em Educação, alunos e professores desenvolvem um projeto de ensino-aprendizagem baseado nas demandas do cotidiano. Nesse sentido, as questões de gênero e sexualidade estão presentes, muito além das discussões em sala de aula. A diversidade e a inclusão já inspiraram, por exemplo, a produção de uma revista digital – a Dragzine. Criada pelos alunos do NAVE Rio para desconstruir tabus criados na sociedade, a revista trazia matérias, ilustrações e entrevistas explicando conceitos, movimentos e estilos de vida do público LGBTQIA+.

As questões de gênero e sexualidade também foram o mote para a criação da animação Menecas. Produzida por alunos do NAVE Recife, o filme retrata o passeio de pai e filho em uma loja de brinquedos, onde o filho se encanta por uma boneca mas é limitado por seu pai, que não aceita a sua escolha. Menecas foi exibida no Festival Anima Mundi e selecionada para a mostra competitiva do Festival Pequeno Cineasta. Já o Elbes , aplicativo que participou do Technovation Challenge 2020, tem uma personagem transsexual como protagonista. O app foi criado por alunos do NAVE para ser fonte de informação e notícias do movimento trans e também como ferrramenta de apoio (inclusive de saúde) no processo de descoberta, aceitação e transição de pessoas trans, possibilitando a formação de redes e a conexão entre usuários e serviços.

Diversidade na Inovação

O Labora, laboratório de Inovação Social do instituto, apoia organizações, negócios e empreendedores de impacto social. Buscamos sempre projetos e empreendimentos que têm potencial de transformação de vidas e comunidades, como o Tecnoguetoum programa de educação que promove a inclusão e a diversidade de gênero, raça/etnia e cultura no mercado de trabalho na área da Tecnologia. Criado em 2019, ele foi acelerado pelo edital Labora + Sebrae em 2020 e recebeu apoio para estruturar uma atuação híbrida, com uma plataforma online de ensino em tecnologia que oferece apoio psicossocial, aulas de inglês, suportes e mentorias. 

Já a Empodera! – startup da área de recursos humanos que participou do edital Ahead Labora Oi Futuro, trabalha com grandes empresas para que se tornarem mais diversas e inclusivas em seus processos de contratação de profissionais, além de auxiliar jovens universitários em sua preparação para os processos seletivos, com conteúdos técnicos e soft skills.

Inscreva-se e faça parte da nossa rede!
Receba informações sobre editais, cursos e programação

Confira a nossa politica de privacidade