Acessibilidade
Contato

LEVADA 2016

LEVADA 2016

31/12/1969

21h - 23h

Oi Futuro Ipanema

Salvar na Agenda
Início Término

Curadoria: Jorge Lz
O projeto musical, que chega à quinta temporada e propõe um mapeamento do que acontece de mais contemporâneo na música pelas diversas regiões do Brasil, já apresentou um total de 68 artistas. Em junho, mais duas atrações imperdíveis.
Dias  17 e 18 de junho:
VANGUART (MG)
Com mais de uma década de carreira, a banda cuiabana, uma das mais importantes da nova geração da música brasileira, reuniu seus maiores sucessos no novo DVD “Muito Mais que o Amor – Ao Vivo”. No show, além das músicas deste trabalho, toca as queridinhas do público “Cachaça”, “Para Abrir os Olhos” e “Semáforo”. Serão lidas cartas por amigos, como a cantora Cida Moreira e o músico Thiago Pethit.
 
Dias 24 e 25 de junho:
JULIANO GAUCHE (ES)
“Nas Estâncias de Dzyan”, título da obra homônima da escritora russa Helena Blavatsky, é o segundo disco do cantor e compositor. Começou a se apresentar aos 17 anos, tocando clássicos do rock, e foi em Vitoria que se profissionalizou, participando de inúmeros projetos, discos e festivais. Vivendo em São Paulo desde 2010. Gauche vem sendo reconhecido por sua voz peculiar e sua performance intensa e explosiva.
 
 
Dias 15 e 16 de julho:
RODRIGO CAMPOS (SP)
Artista Revelação no Prêmio da Música Brasileira 2013, tocou cavaquinho e percussão nas rodas de samba de São Mateus, periferia de São Paulo, lugar onde cresceu. Seu terceiro disco, “Conversas com Toshiro”, é uma investigação sobre a consciência oriental. Além do seu trabalho solo, Rodrigo colabora, como compositor, arranjador e instrumentista, com artistas de sua geração, além de lendas como Tom Zé e Elza Soares.
 
 
Dias 29 e 30 de julho:
DINGO BELLS (RS)
 Nos últimos anos, poucos artistas da nova música brasileira captaram tão bem o espírito de uma época quanto o Dingo Bells. Destaque do cenário de Porto  Alegre, o power trio formado por Rodrigo Fischmann (voz principal e bateria), Diogo Brochmann (voz, guitarra e teclado) e Felipe Kautz (voz e baixo) fez uma obra de canção lapidada com esmero, que une influências de jazz fusion, pop alternativo e rock psicodélico.
 
 
Dias 19 e 20 de agosto:
GUI  AMABIS (SP)
Se em seu primeiro trabalho autoral, o músico e produtor paulistano Gui Amabis foi buscar a ancestralidade nas “Memórias luso-africanas”, no terceiro disco, “Ruivo em Sangue”,  ele volta mais ruivo do que nunca, revelando seu lado dramático, cênico e não menos lírico. Gui está presente em inúmeras trilhas sonoras de produções nacionais e internacionais, como “Bruna Surfistinha”, “Filhos do Carnaval”, “Alice” e  “PSI”.
 
 
Dias 26 e 27 de agosto:
SOFIA FREIRE (PE)
Cantora, compositora e pianista de Recife, entrou para o casting do selo Joinha Records,  que tem nomes como Tibério Azul, China e Mombojó. Desde então, Sofia  tem dividido o palco e feito parcerias com o Trio Eterno, Silvério Pessoa e o gaúcho Rapha Moraes. Juntando poesia a elementos da música eletrônica e erudita e muitas camadas de voz, ela lança “Garimpo”, com uma campanha de financiamento coletivo na internet.
 
 
Dias 16 e 17 de setembro:
MICHELE LEAL (MG)
Natural de Itajubá, sul de Minas, é dona de uma voz doce, com interpretações que emocionam pela técnica, harmonia e simplicidade. Seu EP de estreia, “Jacarandá”, ganhou elogios da crítica.
 
 
Dias 23 e 24 de setembro:
STROBO  (PA)
A dupla de Belém, criada há cinco anos e formada por Leo Chermont (guitarra e efeitos) e Arthur Kunz (bateria e programações), tem três discos e se prepara para o quarto álbum, “4”, até o final do ano.
 
Dias 21 e 22 de outubro:
LAYA (CE)
Primeira artista cearense a se apresentar, em cinco anos de festival, a cantora e compositora estreia o disco solo nos palcos cariocas, Filha de músicos, nascida na França e criada em Fortaleza, ela vive os palcos desde cedo. Influenciada por Björk, Gal Costa, St. Vincent, entre outros, Laya trilha um caminho pessoal e original.
 
Dias 28 e 29 de outubro:
ÁLVARO LANCELLOTTI (RJ)
Quatro anos depois da elogiada estreia solo, o cantor e compositor lança “Canto de Marajó”, mergulhando em mantras, giras, pontos e batuques, e suas canções, de andamento suave, ganharam mais calor e força. Nascido e criado na música, Alvinho é filho de Ivor Lancellotti e irmão de Domenico, com quem divide algumas parcerias.
Sexta e sábado, 21h | Teatro
Entrada: R$ 30,00 | Classificação etária: 14 anos
*A venda começa na terça-feira da semana de cada show
 

Inscreva-se e faça parte da nossa rede!
Receba informações sobre editais, cursos e programação


Confira a política de privacidade

Cancelar meu cadastro na rede do Oi Futuro

×

Não quer mais receber os nossos e-mails?

Seu e-mail foi removido com sucesso.