Contato

Artigo: Você sabe o que é a LIBRAS?

17/04/2019

Artigo: Você sabe o que é a LIBRAS?

Por Alessandro Souza Sales*

Inclusive, no dia 24 de abril a LIBRAS comemorará oficialmente 17 anos. Data esta marcada pelo reconhecimento legal da língua como meio de comunicação e expressão da comunidade surda pela Lei Nº 10.436, apesar de aproximadamente 163 anos de história no Brasil.

Trajetória a qual é influenciada histórica e principalmente pelo intercâmbio de conhecimentos com a língua francesa de sinais, a criação do Imperial Instituto dos Surdos-Mudos em 1856 – atual Instituto Nacional de Educação de Surdos (INES) – e a experiência do seu idealizador, o professor surdo e ex-diretor do Instituto de Surdos-Mudos de Bourges (França), Ernest Huet.

E o que mais você conhece sobre a LIBRAS e a comunidade surda? Seguem algumas curiosidades para aproxima-lo um pouquinho desse idioma:

  • A LIBRAS é a língua materna da comunidade surda. Apesar de uma grande parcela do quantitativo supracitado, infelizmente, não ser alfabetizado na Língua Brasileira de Sinais, esse é o primeiro idioma no qual um surdo deve ser alfabetizado. Isso o ajuda na sua construção e reconhecimento de identidade enquanto cidadão e sujeito detentor de uma cultura e língua próprias.
  • A LIBRAS não é uma linguagem e, tão pouco, mímica. Ela está longe de ser uma livre comunicação gestual tentando se aproximar de conceitos orais do português. Na realidade, a LIBRAS corresponde a um sistema linguístico de natureza visual-motora complexo, com estrutura gramatical e regras próprias pertencentes a um grupo específico (a comunidade surda) e que continua crescendo e se atualizando constantemente.
  • A LIBRAS não é universal. Como o próprio nome diz, ela é a língua própria do Brasil assim como existe a Língua de Sinais Americana (American Sign Language) nos EUA e parte do Canadá e a Língua Italiana de Sinais (Lingua Italiana dei Segni), por exemplo. Inclusive, a LIBRAS apresenta diferentes sinais com o mesmo significado dependendo do estado em que é utilizada aqui mesmo no nosso país, bem como as palavras em português.
  • Os saraus e poesias em LIBRAS são simplesmente deslumbrantes. Se “uma imagem fala mais que mil palavras”, um sinal de um poeta ou poetisa surdo ou surda comunica mais mil imagens. Eles transbordam criatividade, senso crítico e sentimento através da LIBRAS e alicerçados pelas mais incríveis expressões faciais e corporais. Arte surda de surdo para surdo e sem preconceitos com o público em geral (um verdadeiro ensinamento para muitos ouvintes).

Sugestão: procure nas suas redes sociais pelo coletivo Corposinalizante e maravilhe-se!

  • Jamais chame um surdo de “surdo-mudo”! Por vezes o óbvio também precisa ser pontuado, depois ler tudo isso você concordará que surdez e comunicação combinam e muito! Uma vez que os surdos não ouvem e têm sua comunicação baseada em um idioma gestual-visual, a fala não é estimulada. Mesmo assim a mudez é uma condição médica que de fato existe, todavia não seja obrigatoriamente associada à surdez.

Há pouco mais de quatro anos tenho contato LIBRAS e ainda me surpreendo com a riqueza dessa cultura, de forma alguma porque os coloco em um lugar de limitação. Mas porque me encantam suas visões de mundo holísticas, as riquezas e complexidades das culturas surdas e ver quão viva a LIBRAS é.

Não é sobre ser educador e estudioso da LIBRAS que escrevo esse texto, é por ser humano e, mesmo fora do lugar de fala correto, acreditar que devemos nos encontrar e unir também nas diferenças.

Inscreva-se e faça parte da nossa rede! Receba informações sobre editais, cursos e programação

#JuntosTransformamos