Acessibilidade
Contato

Apresentações ao vivo para você curtir sem sair de casa

28/01/2021

Apresentações ao vivo para você curtir sem sair de casa

Em fevereiro, você poderá conhecer o estúdio do Lab Oi Futuro sem sair de casa, com a transmissão da 9ª edição do Festival Levada e a apresentação do álbum “Minha voz fica”, de Zélia Duncan, que comemora seus 40 anos de carreira.

Festival Levada

Nos dias 2, 3, 9 e 10 de fevereiro, sete promessas da nossa música vão se apresentar no LabSonica, laboratório de experimentação sonora do Oi Futuro, que apoia o festival desde a estreia, em 2012. A transmissão será em tempo real e poderá ser acompanhada pelo YouTube (youtube.com/levadafestival). Cada apresentação será entremeada por uma conversa entre Jorge Lz e os artistas, com a possibilidade de participações especiais e perguntas do público enviadas pelas redes.

“Essa turma está pronta para ser abraçada pelo público, pois faz um trabalho consistente e de alta qualidade. Alguns são mais experientes, como Ilessi e Thiago Nassif, ou mesmo a Larissa Conforto, que já tocou com muita gente boa e agora está com seu projeto solo “Àiyé”. E, na última noite, teremos o encontro de um quarteto da novíssima geração, que são a Dora Morelenbaum, Julia Mestre, Lucas Nunes e Zé Ibarra”, adianta o curador Jorge Lz.

“Desde sua criação, há nove anos, o Festival Levada conta com o patrocínio da Oi e o apoio do Oi Futuro e se reafirma, a cada ano, como plataforma de lançamento da novíssima música brasileira, fortalecendo o propósito do instituto de fomentar projetos transformadores e abrir espaço para novos artistas. Este ano, o festival realiza o enorme desafio de se reinventar em formato digital e leva toda sua energia e frescor para as pessoas em suas casas”, diz Roberto Guimarães, gerente executivo de Cultural do Oi Futuro.

Para esta nona edição do festival o patrocínio da Oi é realizado através da Lei de Incentivo à Cultura do Município do Rio de Janeiro, a Lei do ISS, que é aplicada e fiscalizada pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro / Secretaria Municipal de Cultural. Conta com a correalização do Oi Futuro e realização da Zucca Produções.

Serviço:

Atrações:

Dia 2 de fevereiro, terça-feira – Ilessi

Dia 3 de fevereiro, quarta-feira – Thiago Nassif

Dia 9 de fevereiro, terça-feira – Àiyé (Larissa Conforto)

Dia 10, quarta-feira coletivo formado por Dora Morelenbaum, Julia Mestre, Lucas Nunes e Zé Ibarra.

Os shows acontecem às 21h.

Local: pelo YouTube (youtube.com/levadafestival)

De graça e sem comerciais/monetização

Joia ao Vivo: “Minha voz fica” – Zélia Duncan 

Zélia Duncan abre as comemorações dos seus 40 anos de carreira com álbum em homenagem a Alzira E, que será apresentado no dia 4 de fevereiro às 21h em uma transmissão ao vivo no canal do Oi Futuro no YouTube. O disco foi gravado no estúdio Lab Oi Futuro e integra o projeto Joia ao Vivo, criado por Marcio Debellian e DJ Zé Pedro, com patrocínio da Oi e apoio cultural do Oi Futuro.

Entre as muitas nuances da carreira, destaca-se a relação especial que a cantora construiu com São Paulo e seus compositores. Fã de Itamar Assumpção, começou a cantar as suas canções logo nos primeiros shows, e dedicou um álbum e show inteiros em sua homenagem. Absorveu a obra de Luiz Tatit na forma de um espetáculo original, no interstício entre o teatro e a música, palavra cantada, falada e voando.

Este disco em homenagem a Alzira E. de certo modo completa uma trilogia em homenagem a São Paulo, para onde a cantora acaba de se mudar. Alzira é mato-grossense, mas vive em São Paulo há décadas. Tem a sua obra entrelaçada com parceiros como os poetas Arruda, Alice Ruiz e o próprio Itamar Assumpção. A sua sonoridade, seus riffs e levadas já eram parte do universo de Zélia, que tem apresentado canções de Alzira E. em shows ao longo da carreira.

O convite para gravar o disco veio de Marcio Debellian e do DJ Zé Pedro, criadores do projeto Joia ao Vivo, que produz álbuns a partir de encontros artísticos. Este é o 4º disco do projeto.

Para o desafio de criar o álbum, Zélia convidou um músico prodígio da nova geração: Pedro Franco, gaúcho de 29 anos, que neste disco toca violão, baixo, guitarra, bandolim e violino. Para a produção musical, convocou a sua amiga e parceira, Ana Costa.

O álbum foi batizado de “Minha voz fica”, verso de uma parceria inédita entre Zélia e a homenageada Alzira, e estará disponível em todas as plataformas digitais a partir de 05 de fevereiro. Na véspera do lançamento do disco, 04 de fevereiro, será exibido um especial com a apresentação do repertório e imagens dos bastidores da criação do disco. O link para assistir será divulgado nas redes do projeto e da artista. A filmagem tem direção de Marcio Debellian.

Inscreva-se e faça parte da nossa rede!
Receba informações sobre editais, cursos e programação

 

Confira a nossa politica de privacidade