Acessibilidade
Contato

Papo de Futuro com Helena Singer: “É hora de ouvir os empreendedores sociais”

13/04/2020

Papo de Futuro com Helena Singer: “É hora de ouvir os empreendedores sociais”

Como o empreendedorismo social propulsiona soluções para os desafios que surgem a partir de uma pandemia? Como construir novos futuros a partir de ações que buscam resolver questões de uma sociedade em intensa transformação? Essas foram algumas reflexões provocadas durante o webinar “Empreendedorismo Social para a construção de novos futuros”, o segundo da série “Papo de Futuro”, organizada pelo pelo Oi Futuro e transmitido toda quarta-feira, às 19h, pelo canal do instituto no Youtube. O encontro virtual contou com a participação de Helena Singer, líder da Estratégia de Juventude da Ashoka para a América Latina, uma das organizações mais antigas e reconhecidas com atuação no campo do empreendedorismo social e também membro do Conselho Municipal de Educação de São Paulo (CME-SP), e foi mediada por Flávia Vianna, coordenadora de Inovação Social do Oi Futuro.

Para Helena, “hoje o mundo tem três grandes desafios para serem enfrentados: a degradação ambiental, a desigualdade social e a fragilidade da democracia. E a inovação social precisa estar dialogando com esses desafios, nos seus diferentes contextos e situações”. Os empreendedores sociais têm um papel fundamental nesse cenário: “O mundo está em ‘stand by’. Esse é o momento dos empreendedores sociais serem ouvidos. Há muito tempo já falam e fazem um mundo diferente. Eles operam na lógica da solidariedade, empatia e transformação. Agora, finalmente, podemos escutar o que eles propõem, praticam e têm como experiência.”

Confira outros 10 aspectos abordados por Helena Singer durante o webinar:

1) Empreendedorismo com propósito

Há uma diferença fundamental entre empreendedorismo de negócios e empreendedorismo social. O empreendedorismo em si é uma estratégia de inserção no mundo do trabalho. Já o empreendedorismo social é uma estratégia de transformação do mundo. Pode ter histórias, trajetórias e caminhos absolutamente diversos. É muito importante que o empreendedor social tenha claro o seu posicionamento e a sua intenção de impacto social, por meio do negócio que ele está desenvolvendo, e, principalmente, que o impacto não seja utópico, mas que, de fato, a sua proposta de impacto estruture o seu negócio. Há várias iniciativas de sucesso, inclusive, de jovens que se organizaram em torno de um sonho de mudar o mundo, representando o Brasil nos encontros internacionais sobre o tema.

2) Critérios da inovação social

A inovação social tem três critérios fundamentais: enfrenta os grandes desafios do presente; é construída por aqueles que dela irão se utilizar; e é realizada também por meio de pesquisa de reflexão estruturada e participativa. A inovação social também não é escalável, pois não é um produto que pode ser disseminado. Cada organização vai criar coisas novas para enfrentar o contexto. O que se pode escalar é o estímulo e o fomento.

3)Diferentes formas de impacto

É possível gerar impacto social com diferentes estratégias, por exemplo: 1) com inovações que proporcionam bens e serviços às populações mais vulneráveis; 2) com a promoção de mudanças nas políticas públicas; ou 3) com ações que impulsionam transformações de mentalidade, inspirando novos comportamentos em toda a sociedade. É o que estamos vivendo agora, com a pandemia. Essa freada brusca na vida das pessoas e na economia certamente terá um efeito importante na nossa visão do mundo e no nosso comportamento.

4)Empreendedorismo como enfrentamento à desigualdade

Os negócios sociais precisam desenvolver, a exemplo dos negócios de mercado, suas capacidades técnicas e gerenciais que permitam incluir mais pessoas de uma forma não subordinada no mercado de trabalho. Com o domínio dessas ferramentas e mais acesso ao crédito, às redes e às tecnologias, os empreendedores sociais poderão fortalecer a participação econômica, a identidade e a expressão das populações negra e indígena.

5)Empreendedorismo social e Covid-19

O novo mundo que está se desenhando com o Covid-19 é um contexto em que o empreendedorismo tem um papel fundamental e uma grande possibilidade de crescer e influenciar. Percebemos um processo de transformação acelerado e constante. Saímos de um mundo da repetição, marcado pela centralização dos processos, hierarquia, departamentos, fronteiras e a tentativa de simplificar o mundo. Nestas mudanças constantes temos sistemas abertos, equipes fluidas, problemas complexos (não para simplificá-los, mas para entendê-los), redes sociais e plataformas de colaboração.

6)Competências necessárias

Vivíamos no mundo do individualismo, competição, passividade e reprodução. Essas eram as competências do trabalho até o século passado. Agora, o mundo está em constante mudança. Temos que contar com a capacidade de cada um para reconhecer a realidade. Precisamos de empatia, colaboração, protagonismo e criatividade, resultando em soluções novas. A transformação e a capacidade de se engajar nesse processo se tornam cada vez mais urgentes.

7)Oportunidade para o empreendedorismo social

Essa nova configuração do mundo talvez seja uma janela de oportunidade para que as atenções se voltem para os empreendedores sociais, porque eles já fazem um mundo diferente em que opera a lógica da solidariedade, da empatia e da transformação.

8)Juventude e aprendizado

A grande inspiração que o empreendedor social traz ao mundo é a capacidade de ter ideias novas e engajar outras pessoas, principalmente os jovens. É importante trabalhar o tema nas escolas. São quase 200 mil escolas, a maior parte públicas, espalhadas pelos vários cantos do Brasil e elas devem ser os celeiros, envolvendo seus estudantes em atividades para melhorar e transformar o mundo.

9)Persistência diante dos desafios

Há que se fazer um investimento de algum tempo até que seja possível sustentar a iniciativa. Um cuidado  importante é a própria leitura de mundo. O empreendedor não atua sozinho. Ele participa de um coletivo, que enfrenta os desafios do presente e constrói soluções. Não basta ter uma ideia na cabeça, é preciso um trabalho qualificado de articulação, de pesquisa.

10)Novos futuros, desafios e oportunidades de transformação social

Não podemos viver esse momento como se fosse um parênteses. Temos que refletir e ampliar a nossa vontade de transformar e os empreendedores sociais têm respostas. Eles podem aproveitar esse momento para saírem mais fortes e com propostas que façam a diferença nesse novo mundo que a gente espera que se crie depois desse tempo de isolamento, não só no Brasil, mas no mundo como um todo.

Você pode conferir a íntegra do encontro online sobre o tema “Empreendedorismo social para construção de novos futuros” aqui.

Inscreva-se e faça parte da nossa rede! Receba informações sobre editais, cursos e programação



#JuntosTransformamos